quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Resenha: A Invenção de Hugo Cabret







Título: A Invenção de Hugo Cabret
Autor: Brian Selznick
Ano: 2007
Edição: 1
Editora: Edições SM
Número de páginas: 534
Avaliação: 8


Sinopse:

Prepare-se para entrar em um mundo onde o mistério e o suspense ditam as regras. Hugo Cabret é um menino órfão que vive escondido na central de trem de Paris dos anos 1930. Esgueirando-se por passagens secretas, Hugo cuida dos gigantescos relógios do lugar: escuta seus compassos, observa os enormes ponteiros e responsabiliza-se pelo funcionamento das máquinas.
A sobrevivência de Hugo depende do anonimato: ele tenta se manter invisível porque guarda um incrível segredo, que é posto em risco quando o severo dono da loja de brinquedos da estação e sua afilhada cruzam o caminho do garoto.
Um desenho enigmático, um caderno valioso, uma chave roubada e um homem mecânico estão no centro desta intrincada e imprevisível história, que, narrada por texto e imagens, mistura elementos dos quadrinhos e do cinema, oferecendo uma diferente e emocionante experiência de leitura.


Resenha:

É sempre muito bom encontrar um livro diferente dos outros, com um enredo original e ainda assim intrigante. A Invenção de Hugo Cabret com certeza se encaixa nessa categoria. Encantadoramente, é um filme para ser lido, ou um livro para ser assistido. Confuso? Bem, eu vou explicar melhor.

O livro conta a história de Hugo Cabret, um menino órfão que vive escondido na central de trem de Paris dos anos 1930, cuidando dos relógios da estação. Ninguém sabe que ele está ali porque se alguém descobrisse, o menino certamente seria enviado a um orfanato, então Hugo tenta se manter o mais discreto possível, aparecendo apenas para roubar comida e objetos de que precisa, mesmo que relutantemente. Então, para desvendar um grande mistério envolvendo um homem mecânico que pode conter uma mensagem de seu falecido pai, Hugo é obrigado a arriscar seu anonimato, e quando o menino é apanhado roubando o dono da loja de brinquedos, é então que ele inicia uma inesperada aventura que vai mudar a sua vida de uma forma que ele jamais poderia ter imaginado.

Não vou me ater muito aos detalhes da história, pois é mais interessante desvendá-los ao longo da leitura, mas posso dizer que a grande inovação que A Invenção de Hugo Cabret nos traz foi a simples ideia do autor Brian Selznick de criar uma atmosfera cinematográfica para quem lê, que dá ao leitor uma experiência incrível e diferente de tudo que já tenha lido. A narrativa é acompanhada de imagens encantadoras, que não só acompanham a história, como a história é contada através delas, intercalando texto e ilustrações de forma bem orquestrada. 

Além da forma cinematográfica como o livro é contado, A Invenção de Hugo Cabret é, em si, uma grande homenagem ao cinema, com referências a diversos filmes antigos, atores consagrados e a introdução na história do amado Georges Méliès, cineasta considerado o “pai dos efeitos especiais” devido às suas inovações nos filmes de sua época. Algumas imagens desses filmes também são introduzidas no livro, e acredite, você vai sentir vontade de assisti-los depois de ler.

Hugo é um personagem esperto e carismático, o que torna a narrativa ainda mais envolvente. Os mistérios que o acompanham são pouco a pouco solucionados, e sua história é bem comovente, fazendo você querer acompanhá-la até o final para descobrir como termina. O tio Georges é um personagem ranzinza, mas muito bem trabalhado, e que traz uma enorme surpresa no decorrer da narrativa. Isabelle, simpática e curiosa, é uma leitora voraz, que busca compreender o menino misterioso que vive na estação de trem e que tenta ser sua amiga a todo custo, e apesar de ser um livro basicamente sobre cinema, A Invenção de Hugo Cabret também tem espaço para nos apresentar o mundo dos livros, através de Isabelle.

Talvez você possa achar o livro um tanto quanto monótono, já que a narrativa é bem simples e os problemas facilmente solucionados, mas com certeza vale a pena ser lido. A Invenção de Hugo Cabret não é um livro de aventura épica ou um suspense repleto de reviravoltas, mas simplesmente uma história encantadora e uma grande homenagem ao cinema. A leitura é leve e muito agradável, e se torna rápida devido à grande quantidade de imagens, que contribuem significativamente para o enredo. Um livro para leitores e espectadores de todas as idades.

Ah, e depois que terminar de ler o livro, uma adaptação cinematográfica foi feita por Martin Scorsese em 2011. É um filme belo e deslumbrante, uma das melhores adaptações de livros do gênero, que consegue acompanhar com facilidade a graça e o encanto do livro. Altamente recomendado.



6 comentários :

  1. Eu assisti o filme e gostei bastante. Foi uma experiência legal a do filme porque assisti conversando com um amigo meu pelo wpp, enquanto assistiamos os dois o mesmo filme. Foi engraçado porque ele mora longe e não dava pra gente se encontrar pra ver o filme haha'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei a ideia! Parece uma experiência muito legal de se fazer!
      É um filme muito bom, super recomendo o livro e espero que goste também ^-^

      Excluir
  2. Livro mais que lindo, ilustrações maravilhosas.
    Whoosthatgirrl.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, as ilustrações são perfeitas ♥ É um ótimo livro!

      Beijos!

      Excluir
  3. Agr eu fiquei com vontade de ler o livro :3
    Eu já assisti o filme é adorei S2
    Tbm adorei a resenha e o blog! *-*
    Parabéns :)
    Bjsss
    ( simplyonestory.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, é um livro maravilhoso!
      Muito obrigada :3

      Beijinhos!

      Excluir