sexta-feira, 11 de março de 2016

Dica de Filme: Questão de Tempo


Oi, pessoal! Estou de volta com mais uma dica de filme imperdível, que mistura romance, drama e fantasia em uma linda história sobre amor e viagem no tempo. Que tal conhecer mais sobre ele?


Questão de Tempo


Título Original: About Time
Título no Brasil: Questão de Tempo
Direção: Richard Curtis
Produção: Tim Bevan, Eric Fellner e Nicky Kentish Barnes
Roteiro: Richard Curtis
Elenco principal: Domhnall Gleeson, Rachel McAdams, Bill Nighy, Tom Hollander, Margot Robbie, Lindsay Duncan e Lydia Wilson
Lançamento original: 4 de setembro de 2013
Classificação: 12 anos
Minha Avaliação: 9/10
Sinopse: Ao completar 21 anos, Tim (Domhnall Gleeson) é surpreendido com a notícia dada por seu pai (Bill Nighy) de que pertence a uma linhagem de viajantes no tempo. Ou seja, todos os homens da família conseguem viajar para o passado, bastando apenas ir para um local escuro e pensar na época e no local para onde se deseja ir. Cético a princípio, Tim logo se empolga com o dom ao ver que seu pai não está mentindo. Sua primeira decisão é usar esta capacidade para conseguir uma namorada, mas logo ele percebe que viajar no tempo e alterar o que já aconteceu pode provocar consequências inesperadas.

Trailer

Crítica:

Questão de Tempo é um filme que encanta pela sua simplicidade. Se por um lado, os atuais filmes sobre viagem no tempo costumam ser repletos de efeitos especiais e cenas de ação ininterruptas com histórias sem muito aprofundamento, os filmes românticos tendem a ser muito clichês, recheados de situações genéricas e personagens estereotipados. O diretor Richard Curtis, que também assina o roteiro do longa, traz uma história que mistura esses dois elementos, romance e viagem no tempo, em uma trama original, tocante e repleta de personalidade.


O filme conta a história de Tim, um homem sem muito jeito com mulheres, que é surpreendido no seu aniversário de 21 anos pelo pai, que lhe conta que pertence a uma linhagem de viajantes do tempo. Nada de alterações drásticas no curso do universo: os homens dessa família podem apenas voltar no passado, visitando momentos em que já estiveram e mudando apenas sua própria história, e para isso, basta entrar em um local escuro e pensar na época em que deseja ir. Inicialmente incrédulo, mas logo descobrindo a veracidade da história contada pelo pai, Tim resolve usar sua recém-descoberta habilidade para conseguir uma namorada.


A princípio, o enredo pode parecer mais uma comédia romântica como todas as outras, mas um dos principais méritos do filme é mostrar personagens com um grau de humanidade impressionante. São pessoas comuns, com quem o público pode se identificar facilmente. Domhnall Gleeson interpreta um protagonista tímido e humano, sem recorrer à interpretação do clássico "galã" dos filmes de comédia romântica. Rachel McAdams dá vida a Mary, uma meiga editora de livros que se torna o interesse amoroso de Tim no decorrer da trama, interpretando-a com uma doçura e simpatia encantadoras. Os dois protagonistas são extremamente cativantes, e é impossível não torcer por eles ao longo da história.


Tim e Mary possuem uma química impressionante em cena, através de um relacionamento que ocorre de forma gradativa, natural, sem ser forçada ou rápida demais, criando um romance belo e agradável. Mas não são só os protagonistas que brilham em cena; o elenco secundário também se dá muito bem, com destaque para Lydia Wilson, Tom Holander, Margot Robbie e, principalmente, Bill Nighy como o pai de Tim. O relacionamento dos dois promove algumas das melhores e mais tocantes cenas de todo o filme, mais até do que as do próprio casal principal.


Mérito ao diretor Richard Curtis, que também conduziu obras como Simplesmente Amor e Um Lugar Chamado Nothing Hill (que já estão na lista de filmes que pretendo assistir em breve), que soube conduzir a narrativa com delicadeza, sem ser melosa, com um toque fantasioso, mas bem realista, e com personagens cativantes, sem serem estereotipados. Isso sem falar na fotografia do filme, que é linda, além da excelente trilha sonora, composta principalmente de músicas instrumentais.


Trazendo reflexões acerca de amadurecimento, relacionamentos e sobre a efemeridade da vida, de uma forma simples e tocante, Questão de Tempo é um romance lindo e repleto de sensibilidade. Contando com um enredo emocionante e um ótimo elenco principal, o filme consegue tanto agradar os fãs de viagem no tempo, quanto os de um bom romance.
 



Nenhum comentário :

Postar um comentário